segunda-feira, 23 de maio de 2011

O adeus ao Pequeno Buda...

Este fim-de-semana despediu-se dos relvados, aos 35 anos, um pequeno-grande jogador. Quando ainda não se ouvia falar de Xavi e Iniesta, os dois motores do Barcelona, já outro pequeno centrocampista  dava cartas em Camp Nou. Era ele Iván de la Peña…..O Pequeno Buda, como ficou conhecido no mundo do futebol.
De la Peña teve um início de carreira fulgurante, dando a entender vir a ter um futuro brilhante. Não foi isso que aconteceu, pois assim que saiu do Barcelona, no fim da época de 1997/1998, nunca mais conseguiu atingir um patamar elevado.
Bem, mas comecemos pelo princípio!!! O médio de baixa estatura (1,73m) chega ao plantel principal do Barcelona na época de 1995/1996, pelas mãos de Johan Cruyff, que já lhe tinha dado a oportunidade de se estrear na época anterior, quando ainda fazia parte da equipa B do conjunto catalão. Logo na primeira temporada faz 30 jogos e marca 7 golos, numa equipa que tinha os históricos Guardiola, Amor e Jose Maria Bakero. Nesse ano chegava também a Barcelona o português Luis Figo. Mas a época terminava sem títulos…
No ano seguinte, Iván de la Peña terá feito a sua melhor temporada de sempre. Com Sir Bobby  Robson no banco, formou com Ronaldo uma aliança de sucesso. Muitos dos golos do brasileiro saíram dos pés do Pequeno Buda. Foi, também, o Barcelona mais português de sempre. Vitor Baía, Fernando Couto e Luis Figo estavam no plantel. E ainda havia…..José Mourinho!! Vence a Taça das Taças e a Taça do Rei. O título de campeão espanhol continuava-lhe a fugir….
Com a chegada do holandês Louis Van Gaal é que as coisas não correm tão bem. Começa a ser menos utilizado, e embora tenha sido finalmente campeão, acaba por sair de Barcelona. E sai para o estrangeiro, coisa pouco usual em futebolistas espanhóis naquela altura (mesmo agora, os de qualidade preferem ficar “em casa”). Dá-se então início ao ocaso de Iván de la Peña…
Época 1998/1999, Lázio de Roma, um plantel valiosíssimo que integrava os portugueses Fernando Couto e Sérgio Conceição, o checo Nedved, Stankovic, Marcelo Salas, Vieri, Mancini, Nesta……tudo isto com Sven-Goran Eriksson como treinador. Mas o Pequeno Buda não se adaptou e pouco jogou. Termina o campeonato italiano em 2º lugar e vence mais uma Taça das Taças. E acaba por sair, por empréstimo, primeiro para o Marselha (onde não se impôs) e depois de volta para o Barcelona (onde desta vez falhou). Seguiu-se mais um ano quase sem jogar, na Lázio e dá-se então o regresso definitivo a Espanha. Desta vez para jogar em Barcelona, mas no outro clube da cidade, o Espanhol.
De 2002 até ao fim da época que agora terminou, Iván de la Peña  foi quase sempre (com excepção das últimas duas temporadas) bastante utilizado e readquiriu o prazer de jogar futebol. Conseguiu ganhar uma Taça do Rei e ser finalista de uma Taça UEFA, o que num clube como o Espanhol se pode considerar muito positivo.
Foi um jogador que muito prometeu e acabou por não atingir os níveis que todos esperavam dele. Lesões, o seu feitio, más escolhas quanto aos clubes onde jogou, poderão ter sido razões para uma carreira abaixo do previsto para este pequeno-grande jogador. Tinha uma qualidade de passe acima da média e uma visão de jogo fantástica.

Partilhem aqui as vossas recordações do Pequeno Buda.
Saudações Desportivas

Sem comentários:

Enviar um comentário